quarta-feira, 27 de abril de 2011

Vamos lá discutir!

Tendo por base uma "discussão", que ocorreu ontem no facebook do "Baú dos Livros", queria saber a vossa opinião: O que torna um livro bom? Só a história, só o modo como é escrito, ou a classificação de "clássico"?


13 comentários:

Luís Azevedo disse...

Para mim um bom livro regra geral, deve reunir todas essas características. Acho que isso é quase consensual. Agora, a primazia que se dá a qualquer uma delas é que parte muito dos gostos pessoais de cada um.
Um clássico regra geral só o é por estar bem escrito e ter uma boa história, por isso é quase sempre uma escolha acertada na hora de tirar o livro da estante.
A maneira como está escrito é muito importante. Sendo a escrita um meio com características únicas, o livro que faz melhor uso dessas características é o melhor. Mas o essencial mesmo, pelo menos para mim, é ler um livro de alguém que tem alguma coisa para dizer, alguma mensagem para passar, e que a conseguem articular de tal maneira que tornam a leitura um desafio um prazer.
A leitura de um livro só pela história a mim não me entusiasma, porque encaro a leitura como mais que um entretenimento. Mas percebo perfeitamente quem quer ler um livro só para passar o tempo, de vez em quando.

Ana Luisa Alves disse...

Luís - Há clássicos cuja história é horrível. Logo, são classicos apenas pela forma como estão escritos? São apenas por isso considerados clássicos?

Luís Azevedo disse...

Não. Para se inserir na categoria de clássico o livro tem uma mensagem que quer passar e são escritos de maneira a esconde-la. Noutras palavras, a história é um engodo para a mensagem. Depois à leitores para os quais o apelo da mensagem e da escrita é suficiente e outros para os quais não é. E pode ser o suficiente num clássico, e noutro já não. Por isso é que a arte é tão subjectiva; apela a diferentes pessoas de diferentes maneiras.

Ana Luisa Alves disse...

Entao um dia vais me explicar qual a mensagem do Moby Dick! E vais me dizer porquê que o Conde de Monte Cristo do Alexandre Dumas tem uma mensagem tao simples e directa, e mesmo assim é considerado um clássico.

Luís Azevedo disse...

Não li nem um nem outro :)
Suponho que são estilos diferentes. Provavelmente pessoas diferentes liam os mesmos livros e achavam o oposto :)

Ana Luisa Alves disse...

entao quem diz se é clássico ou nao?

Luís Azevedo disse...

O tempo.

Ana Luisa Alves disse...

isso não tem lógica nenhuma...

Sara disse...

Concordo com o Luís, o que define um clássico é sobretudo o facto de ter resistido ao tempo. Há livros que foram escritos à séculos e quando os lemos parece que foram escritos agora (Como os livros de Eça sem tirar nem por); outros retratam uma época ou um estilo (Como o Frei Luís de Sousa é um exemplo de romantismo). Mesmo que não nos identifique-mos com o estilo são livros que marcaram a literatura. Infelizmente quando agora olho para os escaparates risco a dizer que nem 90% daquilo que lá está irá sobreviver. Eu num livro gosto de uma boa prosa, de um bom enredo...os clássicos normalmente satisfazem estes requisitos senão não teriam chegado ao nosso século. Também gosto de livros com mensagem,especialmente se houver uma ironiazita lá pelo meio.

O que me parece é que as pessoas agora previligiam o entretenimento, e as histórias sem conteúdo e levezinhas para não dar muito trabalho ao intelecto...são os gostos que vão mudando acho eu.

Mas isto é uma discussão complexa, acho que até os proprios criticos não se decidem...

Luís disse...

Os livros o Eça são o exemplo perfeito. São de uma actualidade quase assustadora! Mas há muito poucos assim, sinceramente de autores portugueses é o único que conheço que não envelheceu nada.
Depois há os outros autores considerados clássicos mas que têm de ser lidos tendo em mente que foram escritos noutro tempo; é como ver um filme dos irmãos Lumiere.
Não posso falar com muito conhecimento de causa, porque de autores portugueses contemporâneos só leio Saramago e... Saramago, mas pelo que me apercebo poucos dos autores de agora vão ver a sua obra resistir aos danos do tempo.
Escrever livros deixou de ser uma actividade marginal que dificilmente dava lucro para se tornar numa indústria e duvido muito que haja muitos autores que mantenham a sua integridade artística acima do dinheiro que vão receber, na sua lista de prioridades

Landa disse...

Ainda à dias tive uma "discussão" com o meu namorado acerca da qualidade de um livro. Para mim, um livro bom é aquele que permanece ao longo do tempo, com uma escrita cuidada e que tenha algo mais que o romance em si, seja a descrição de uma época, uma mensagem política, uma crítica a algo...Um clássico é apenas um livro que possa ter estas características.

MERCEDES disse...

Es una pregunta dificil pues la historia es una cuestion de gustos y que sea un clasico no te garantiza que te guste la historia no se quizas seo mejor que este bien escrito? ufff dificil

Ana Luisa Alves disse...

É como discutir o sexo dos anjos...XD