domingo, 30 de agosto de 2015

Cansaço

Isto vai soar um bocado narcisista, mas há alturas na minha vida que me sinto rodeada por pessoas que não acrescentam absolutamente nada à minha pessoa/vida. 

Há uns dias atrás, tive uma conversa com uma das minhas melhores amigas, sobre o facto de que quando saímos da Universidade, esta sucessão de inúmeras novas caras que conhecemos, nem que seja de passagem, torna-se cansativa. A certa altura sentimo-nos sozinhos como nunca antes nos sentimos. É um sentimento que ainda só experimentei umas duas vezes neste Verão, porque me vou mantendo ocupada até à exaustão. Se parar por muito tempo vou começar a pensar nisso e vou bater mal. O truque é mesmo não parar. 

Uma vez o meu namorado disse-me que eu não me rodeava de pessoas que me desafiassem. Na altura fiquei chateada e não percebi o que ele queria mesmo dizer. Pareceu-me um ataque aos meus amigos. A verdade é que já fui muito intolerante com as pessoas. Hoje, suporto quase tudo e quase todos. Sou bem mais tolerante e dou-me bem com quase toda a gente que conheço. Gosto de conhecê-las e de ouvir o que tem a ensinar-me, baseando-me naquilo que elas mesmas vivenciaram. No entanto, começo a entender o que o meu namorado queria dizer. É tão cansativo ouvir as mesmas histórias de vida, as mesmas opiniões, os mesmos temas de conversa mundana, os mesmos modos e manias de falar...dia após dia, após dia...e a nossa cabeça sempre a mil, com coisas excêntricas, ou com ideias ditas disparatadas, a fervilhar e a querer gritar e sem poder fazê-lo...tudo a ser desperdiçado pela arte de nos tentarmos misturar e perder na realidade dita "da normalidade". 

Quantas vezes na vida é que se conhece alguém que nos estimule mentalmente? Que nos desafie a pensar fora da caixa, diferente dos demais? Pela minha experiência, não se conhecem muitas pessoas assim. As que conheço, guardo bem próximas. Mas mesmo assim, a distância acaba por nos colocar em campos geográficos diferentes, e o nosso dia-à-dia fica cada vez mais pobre. E a minha essência parece que se vai apagando e misturando. No final acabo por ser mais uma pessoa, que apanha o comboio para ir para o trabalho e que regressa ao final do dia. Uma réplica da pessoa que se senta ao seu lado. Mais uma. E isso deixa-me triste. Mas deixa-me sobretudo cansada.



 


sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Novo Pequeno Projecto

Uma das pequenas coisas que a minha avó me deixou foi uma caixa cheia de botões. Imensos botões! Pequenos, grandes, médios, feios, bonitos, vermelhos, brilhantes, opacos...vocês digam uma característica, de certeza que tenho. É uma colecção feita ao longo de mais de cinquenta anos. 

Neste Verão resolvi fazer alguma coisa com eles e descobri que posso transforma-los em brincos lindíssimos! Após essa descoberta, resolvi que podia investir em mais botões, e criar brincos para dar e vender. E porque não fazer um pequeno projecto de bijuteria anexado ao blog? Seria óptimo para arranjar uns trocos para investir em novos livros!

Assim surgiu a ideia e a partir de hoje, no Facebook do Baú dos Livros, poderão encontrar algumas peças de bijuteria feitas por mim (secção das Fotos>Álbuns), com o nome de livros, ou personagens de livros, que podem encomendar, comentar, partilhar, tirar ideias, etc etc...

Espero que gostem e para mais informações, visitem a página no Baú e enviem mensagem! Ficam aqui alguns exemplos:

Brincos "Jane Austen" - 2 livros (sem portes)
 Brincos "Jane Eyre" - 2,5 livros (sem portes)

 Brincos "Little Mermaid" - 3 livros (sem portes)

Colar "Orgulho e Preconceito" - 4,5 livros (sem portes)



quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Diário de uma Estagiária #Karma is a Bitch...

Esta semana tivemos no Hospital uns proprietários, que todos os dias vinham visitar a sua cadelinha. Até aqui tudo bem. O problema é que vinham sempre na nossa hora de almoço, fora da hora de visitas. Isso obrigava a que uma de nós ficasse cerca de uma hora, com fome (ou até os expulsarmos subtilmente) com eles.

Pedimos-lhes várias vezes que respeitassem o horário de visitas, mas não adiantava. Os senhores não entendiam, que estavam a ser rudes (ou entendiam, e nao queriam saber).

Numa destas visitas, cismaram que a cadela estava a tremer e que queriam que fosse vista a temperatura ali e agora! Para não entrarmos em conflito, fizemos-lhes a vontade. A cadelita, estava era super excitada, por estar com os donos, e a temperatura estava normal. Como recompensa, depois de ser medida a temperatura, a cadela fez uma bruta diarreia para os pés da dona, que estava de sandálias, e ainda lhe acertou dentro da carteira. Com aquele cheirinho na carteira, a dona não deve ter sentido tanto a falta da bichinha!


quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Diário de uma Estagiária #O Fim de uma Bela História de Amor

Despedi-me no Domingo. Digo um adeus definitivo à fritadeira e aos hambúrgueres de frango na próxima Segunda-feira. Trabalhar mês e pico no McDonald's foi uma experiência interessante, que me fez perceber o quanto gosto do trabalho que faço de dia, no Hospital Veterinário. 

Não entendo como é possível aguentar anos e anos a trabalhar no McDonald's, muitas vezes 10/12 horas por dia a ganhar 2,75€/hora. Não compensa o esforço e acho que quem realmente procura e se mostra disponível, arranja melhor. 

Ainda assim, deu para conhecer muita gente, saber como as coisas funcionam realmente, quer a nível de cozinha, quer a nível de atendimento ao público e da filosofia da empresa. Nos próximos tempos de certeza que não visitarei o McDonald's. Não é que antes fosse cliente assídua, mas quando se passa mês e pico a fritar aglomerados de carne de frango e a comê-los nos intervalos, uma pessoa cansa-se e anseia por algo diferente. Além disso, não partilho e não aceito o modo como pagam aos funcionário e como exigência de melhor, por eles, tentarei evitar ao máximo dar o meu contributo monetário ao McDonald's. 

Talvez um dia percebam, que é valorizando o trabalho das pessoas, que se pode esperar o máximo delas e o compromisso dos clientes mais conscientes. 

Meanwhile, no Hospital Veterinário...as coisas podiam andar a correr melhor. Começo a aperceber-me das dificuldades que existem na gestão dos recursos humanos e dos recursos em geral. Muitas vezes como consequência destas dificuldades, os animais acabam por pagar um grande preço. 

Há muitas coisas neste mundo que gostava de tentar mudar. A parte boa é que ainda estou motivada para tentar fazê-lo.

 

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Diário de uma Estagiária #Primeira Semana

E a primeira semana no meu segundo local de estágio em clínica de pequenos animais, passou. E passou tão rápido! Confesso que estou a gostar. Na UTAD, não podíamos fazer grande coisa em termos práticos. Pelo contrário, neste local só não opero, porque ainda não tenho destreza para tal. De resto deixam-me fazer montes de coisas e estar em contacto com os proprietários e as suas manias. 
Nunca pensei que fosse gostar de clínica de pequenos. Não gostei durante o curso, mas parece que estou a descobrir coisas novas sobre mim mesma, que até então desconhecia. Nunca pensei que iria gostar de lidar com os donos. Alguns são de facto difíceis, mas mesmo assim gosto de os ouvir e de responder às suas dúvidas. Também nunca pensei que estaria preparada para as esclarecer e, no entanto, surpreendo-me com coisas de que falamos durante o curso, ou que li, que uso para explicar o que se está a passar, ou o que se vai passar, aos proprietários. Depois vem a parte de improvisar e de desenrascar, que também pareço conseguir em certas ocasiões.

Vou também mantendo uma espécie de diário dos casos que vou vendo e seguindo. Em casa tenho tentado fazer uma revisão de abordagens terapêuticas possíveis. É complicado conciliar tudo com o part-time no McDonald's, mas até agora estou a aguentar. 

Trabalhar no McDonald's tem uma vantagem muito grande: faz-me ver o quão vou gostar do meu trabalho como veterinária e como é sempre muito mais fácil trabalhar por gosto!

sábado, 8 de agosto de 2015

Vencedora do Passatempo "Verão Literário"

A vencedora do Passatempo "Verão Literário" foi Fátima Gonçalves! Muitos Parabéns!
Obrigada a todos os participantes, por ajudarem o Baú dos Livros a crescer mais um bocadinho e a alcançar um público cada vez mais basto!