segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Ler hoje em dia...


Num destes dias, ao jantar, eu, o meu irmão e os meus pais estávamos a conversar acerca de como a mentalidade dos jovens tem vindo a deteriorar-se e nessa conversa o meu irmão disse:
“- Na minha turma sou dos poucos que já leu um livro!”

Não fiquei espantada. Depois do ano que passei a ajudar os meus pais no trabalho, onde se lida diariamente com muitos jovens, apercebi-me de que são raros aqueles que se interessam por algo mais do que a sua roupa, o seu telemóvel ou o que os outros pensam deles. Assim como a boa educação, ler está fora de moda e, como tal, não é um hábito que “fique bem”. 

Com cada vez mais editoras no mercado, mais autores por onde escolher e preços cada vez mais altos, não sei o que irá acontecer; ou se dá uma grande reviravolta no mundo do livro e na própria sociedade, ou então esse mundo estará condenado com a chegada da crise, que deixou de ser apenas monetária, e passou a ser também de valores. 

“Antigamente…” diziam os meus pais, “…toda a gente lia livros. Não havia mais nada para fazer…”. Mas será que os jovens de hoje são assim tão ocupados? 


9 comentários:

Maria Pereira disse...

Eu tenho mt o habito de oferecer livros. Tendo que sejam de acordo com a idade dos leitores mas sei bem o que quer dizer, parece que para os miudos o importante é andar na moda e ler não está "in". Fico feliz por o meu filho de 6 anos já ter lido vários livros sozinho, inclusivé Jerónimo Sillton, Capitão Cuecas, Bruxa Mimi, Henrique o terrivel... :)

Boas leituras

Ana Luisa Alves disse...

Isso é admirável! Quando tiver os meus filhos, também pretendo incutir-lhes hábitos de leitura. É pena que hoje os pais que o fazem sejam poucos...

Maria Pereira disse...

Obrigada pela visita ao meu blog :)

Sabes, eu sou uma viciada em livros, sp fui. Qd era criança tinha só meia duzia mas lia-os imensas vezes e socorria-me das bibliotecas itinerantes que paravam à minha porta. Não sei se isso ajudou à paixão do meu filho mais velho por livroa, mas ele começou a ler as 1ªs palavras aos 3 anos e hoje não pára na sede de leitura e conhecimento. Suponho q está nas nossas mãos passar esta nossa paixão aos nossos descendentes :)

Boas leituras :)

Hugo disse...

Infelizmente isto é a conjunção de vários fatores.

- Famílias que não tem o hábito de leitura, nem mesmo jornal ou revista, acabando passando isto para os filhos.

- A "obrigação" que alguns professores e os próprios vestibulares tentam impor aos jovens para ler os clássicos, sendo que a maioria não tem o hábito de ler. Neste caso a leitura se torna chata e ele não entenderá nada. O ideal é começar desde cedo, com leituras simples para crianças pegarem o gosto.

- O preços dos livros que são um absurdo. São valores voltados para a classe média alta em diante. Não existe o desejo de popularizar a leitura. A informação é um bem precioso e os poderosos não tem interesse que o "povo" tenha informação.

Abraço

Ana Luisa Alves disse...

Maria, os meus pais também usufruíam da biblioteca itinerante, mais a minha mãe que vivia na aldeia e não tinha acesso tão fácil ás bibliotecas da cidade. Eu pelo contrário, comecei a ler já um pouco tarde (por volta dos 10 anos), mas foi uma questão de lhe apanhar o gosto ;)

Hugo, como disse em cima, penso que a leitura é uma questão de hábito. Só porque os nossos pais não lêem, não acho que seja uma determinante de que também iremos ler. Também não é desculpa o preço dos livros, existem muitas bibliotecas públicas. As pessoas simplesmente não lêem, porque são preguiçosas e não querem saber mais, ou procurar saber mais.

Cumps!

Landa disse...

Eu sou uma das poucas pessoas da minha família que lê frequentemente. Tenho sobrinhos ainda pequenos e tentei sempre incutir a leitura com ofertas de livros. Este ano não vou oferecer livros pelo Natal porque, por mais que tente, não os vejo incentivados para a leitura e porque os próprios pais vêem os livros como algo de desinteressante ou fútil. Fico triste com isso e penso que a tendência é as pessoas desvalorizarem cada vez mais a leitura e ocuparem os seus tempos livres com TV, internet, jogos de consola...

Acho que ler é algo que não se consegue incutir, é da pessoa. Nem toda a gente está para dispender a sua atenção num livro quando pode ver um filme em 2h, ou jogar computador enquanto vê TV. Vejo isso pelo meu marido que me diz que gostava imenso de ler como eu só que não tem paciência para tal. Enfim...

Luís Azevedo disse...

Não acho que o panorama seja assim tão negativo. Os livros electrónicos estão a ajudar a democratizar a literatura. Apesar de isso ainda não se ver em Portugal, não duvido de que venha cada vez mais a notar-se.
No caso português, em específico, há uma abordagem péssima; os primeiros livros que fui obrigado a ler foram de Eça de Queirós, Luís de Camões e José Saramago. Não pedimos a uma criança que se sente pela primeira vez à frente de um piano, que toque a segunda sonata de Rachmaninoff. Porque lhe pedimos, então, que leia pela primeira vez autores dessa envergadura?

Deveria existir, isso sim, um plano de leitura consistente, que cultivasse o gosto pela leitura por literatura adequada para os gostos e idades das crianças.
Outro motivo pelo qual a literatura está em desuso é o facto de ela ser cada vez mais desnecessária. Não desnecessária porque já não nos enriquece culturalmente, mas desnecessária a um nível prático. Um engenheiro não precisa de ler, um médico não precisa de ler, um estudante de Ciências da Comunicação não precisa de ler. Como a sociedade não discrimina quem não lê, torna-se complicado optar por um livro quando confrontados com uma miríade de média muito mais apelativa.

Apesar de tudo a não-leitura não é tão negativa quanto isso. A maioria dos jovens são hoje em dia mais bem informados do que todas as gerações anteriores, mais bem preparadas e detêm conhecimentos práticos que nunca adviriam da literatura.

Além disso, se estamos a falar de ler só por ler, em que medida é que um livro de Margarida Rebelo Pinto ou Paulo Coelho é melhor que o "Captain America" ou os "Piratas das Caraíbas"?

Ana Luisa Alves disse...

Eu estava a falar de ler livros... lool não era de ler caca XD

Quanto ao resto, mais uma vez o teu poder de argumentação deixa-me sem palavras, pois concordo com tudo.

nososlivros disse...

Não concordo muito com aquilo que foi dito pelo Hugo,e porquê? em minha casa nunca houve hábitos de leitura de nenhum género e no entanto sou um leitor bastante activo, é raro o dia em não leio.
No entanto concordo plenamente quando o Hugo diz que o preço demasiado elevado dos livros pode ser um factor determinante para as pessoas não leram tenho a certeza que é determinante, concordo também com o facto de na escola por exemplo existir a tal "obrigação" que ainda por cima é chata aborrecida e incompreensivél isso pode originar o chamado "pavor da leitura" no futuro. Concordo com a primeira pessoa a comentar a Maria Pereira. a minha filha com 3 anos adora livros e prefere-os a brinquedos (espero que continue assim) no entanto tal como a Maria costumo oferecer livros destinados a cada idade e por exemplo no caso do meu sobrinho já 13 anos tento incentivar á leitura de livros de aventuras com bastante emoção bem ao género da idade dele e... não vale a pena ele não lê... não sei se é preguiça, se é falta de incentivo...