segunda-feira, 20 de julho de 2015

Diário de uma Estagiária - Day #Idon'tknow

Que má blogger que tenho sido! Comecei muito bem...mas ao quinto dia perdi o fio à meada. Lamento, mas não nasci para escrever diários. Acabo sempre por desistir a meio. Porquê? Porque entretanto fico sem tempo, ou esqueço-me. Por isso agora vamos mudar a contagem de dias, para uma contagem de post no título. Problema resolvido!

A segunda semana de estágio foi bastante diferente da primeira. Enquanto na outra semana havia mais casos e coisas para acompanhar, esta foi mais calminha. Tivemos tempo para um piquenique no Palácio de Cristal, que fica aqui mesmo ao lado, andamos a tirar selfies no 5º andar do novo edifício do ICBAS (que tem uma vista linda!) e ainda aparecemos na RTP 1.

Gostei muito deste estágio de Verão! A equipa médica é muito atenciosa e aprendi imenso! Foi especialmente interessante deixarem-nos começar as consultas e agir como se realmente já fossemos médicas veterinárias. Acho que no final já me sentia muito mais à vontade para lidar com pessoas desconhecidas.  Além disso conheci pessoas fantásticas e tive oportunidade de treinar o meu inglês, na companhia de uma estagiária polaca muito fofinha!

A meio da semana comecei um part-time noturno no MacDonald's, o que tornou os meus dias muito curtos e bastante preenchidos. Mas o que tem de ser tem muita força, e já é altura de começar a ser ligeiramente mais independente dos meus pais. 

Foi uma excelente semana! 



4 comentários:

Ângela disse...

Oh, pensava que ias colocar aqui a reportagem... :)

Ana Luisa Alves disse...

ahaha! era uma noticia sobre alta taxa de empregabilidade de medicina...o que é irónico, visto que nós estávamos ali a fazer estágio não remunerado em medicina veterinária XD

Ângela disse...

Aaah, então foi isso que o meu pai viu na televisão. Ele falou-me sobre uma reportagem a propósito dos cursos de saúde terem uma grande taxa de empregabilidade, e eu comentei que conheço enfermeiras desempregadas (ou com part-times porque não arranjaram a tempo inteiro).

Ana Luisa Alves disse...

Falando sem grande conhecimento de causa...há muita gente que vê o ir trabalhar para o interior com preconceito e por isso não alarga a sua procura a essas zonas, ou então prefere emigrar. Ainda há uns dias conheci uma rapariga no Mac, formada em analises clinicas que estava há um ano à procura e nao arranjava nada. Perguntei-lhe: mas onde tens procurado? E ela disse: st.tirso, trofa, guimaraes, famalicao...e eu nao disse nada, mas pensei: e que tal perder o medo de sair de casa?

O desemprego existe e é uma realidade, mas também há que ter em conta, que muita gente não quer abdicar da sua área de residência, nao quer deixar a casa dos pais, não quer submeter-se a certas condições...há gente muito picuinhas.