terça-feira, 28 de julho de 2015

Diário de uma Estagiária #6 - Trabalhar no McDonald's

Esta última semana tem sido de adaptação. De dia estou de férias. A partir das 19h estou no McDonald's. Acho que aquilo que pagam aos part-timers é uma perfeita anedota, mas fico porque é o único local que me permite adaptar o horário às minhas necessidades e conciliar com o estágio de Veterinária, que começa em Agosto. 

Como é que é trabalhar no McDonald's? Não é muito mau. O tempo passa super rápido e não temos muito tempo para pensar. Comecei por estar na fritadeira nos quatro primeiros dias, mas entretanto já fui fazendo outras tarefas, desde montar os hambúrgueres e wraps, até andar a limpar a sala. Ainda não me mandaram para a caixa, mas sinceramente não me importo de ficar na cozinha. Nunca tive muito jeito para atender pessoas. Não acho que tenho a delicadeza, ou a paciência, necessárias para todo o tipo de clientes. 

Acho interessante a variedade de pessoas que trabalham no Mc. Desde senhoras com quase 40 anos, que se confundem no meio de tantos jovens, e que tem outros empregos para além desde, até miúdos de 18 anos que querem juntar umas coroas para a universidade. Há também os desistentes da faculdade, que se foram deixando seduzir pelas promoções a cargos ligeiramente melhores, e os que tem formação superior, mas que, por alguma razão, não arranjam trabalho na área. Todas estas pessoas, com backgrounds diferentes, e objectivos ainda mais distintos, tornam o ambiente de trabalho uma amalgama social digna de observar e tirar apontamentos. 

É também interessante perceber todas as pequenas incongruências do grande franchising, que é o McDonald's. Seria muito burra se não reconhecesse, que quem inventou este sistema era alguém com uma visão bastante à frente do seu tempo. A forma como tudo está encadeado e organizado, como todos tem funções especificas...pode-se realmente assumir que se está numa fábrica de comida. E depois pensa-se, como é que o povo português se deixou "americanizar" desta forma? 

Lembro-me da primeira vez que fui a um McDonald's. Tinha ido ver o "Príncipe do Egipto" ao cinema, com o meu padrinho e a então namorada dele. Devia ter uns 10 anos. Pedi um Happy Meal, no McDonald's de Vila do Conde (ou da Póvoa). Quando cheguei a casa vomitei tudo. A partir desse dia, concordei com os meus pais: essa comida não era boa. Ainda hoje não sou grande fã. Como ocasionalmente, mas fico sempre com uma sensação de enfartamento, que não é natural; não sabe bem. Por isso, essa minha alienação da comida rápida McDonald's impediu-me de perceber quando exactamente é que isto pegou moda? 



Hoje, apesar da crise económica, famílias inteiras vêem almoçar, ou jantar ao Mc aos Domingos. E não gastam pouco! É de facto um mito que a fast food é mais barata. Não é! Cada menu custa no mínimo 5 euros, mais coisa menos coisa, sem contar com as sobremesas. Num abrir e fechar de olhos uma família de quatro pessoas gasta facilmente 30 e tal euros na brincadeira. Multipliquem por 4 fins de semana e são 120 euros ao final do mês. 

Eu cresci numa empresa de panificação. Sei quanto custa um hambúrguer, sei quanto custa uma cola e uma garrafa de água. E sei que eles tem uma margem de lucro gigantesca. A minha dúvida é: porquê que com uma margem tão grande de lucro, não conseguem pagar mais do que 2,70€ líquidos/hora? 

Viva o capitalismo.

4 comentários:

Sara disse...

Eu gosto, mas tb só lá vou uma ou duas vezes por ano...Claro que nessa altura não peço salada xD Foi coisa que nunca entendi querer fazer dieta no Mac...

Isabel Maia disse...

Não posso dizer que sou fã mas havia dias que dava jeito lá ir. A refeição no trabalho não era grande espingarda ou nem sequer houve tempo pra comer, passa no drive-thru do Mac ou do Burger King e já se leva qualquer coisa.
O problema é que a saúde lembrou-se de pregar uma partida e eu fiquei com a alimentação com a restrições de um celíaco, de um intolerante à lactose e de um alérgico alimentar combinado numa só pessoa, moi même. Às vezes lá dá a cobiça da fast food e em vez de demorar os 5 minutos de ir à loja, pedir e levar, demora o tempo de montar a comida com os sucedâneos permitidos (haja wraps gluten free em casa e o céu é o limite!).
Ok que o Mac já tem opção gluten free mas está em fase de trial e só o vendem em Lisboa... É injusto! (*momento Calimero ON*)

Ana Luisa Alves disse...

Confesso que só há coisa de 3 anos é que comecei a ir mais. Porque ter um namorado que gosta daquela comida, condiciona um bocado. No meu caso as saladas são uma opção, uma vez que não como carne de vaca, ou porco. Fico com o menu um bocado limitado. Tb não gosto mt de coisas panadas fritas...Normalmente levo o MacChiken...sad.

Tb já ouvi falar da versão celíaca, mas ainda não apareceu por aqui...pode ser que esteja para breve. Sei que vão chegar novas saladas XD

Ângela disse...

A primeira vez que comi no Mac foi quando fui a Lisboa à Expo98. Detestei. Não consegui comer nem metade do hamburguer e depois fiquei cheia de fome. Só 3 anos mais tarde, como caloira da universidade, em 2001, tive coragem de voltar lá, com os outros caloiros todos. Na altura experimentei os hamburguers todos. Decidi que o único que se aproveitava era o Mac Chicken e é o que como sempre que lá vou. Mas também é muito raro eu ir lá.

Achei giro dizeres que o primeiro MacDonadl's a que foste foi em Vila do Conde. :) (na Póvoa não há)