sexta-feira, 10 de junho de 2011

Pintarolas Curativas

Olhando para o passado, considero que tive uma infância muito feliz. Fiz tudo aquilo que se espera de uma criança. Corri, saltei, brinquei com bonecas; fiz asneiras, fui castigada e aprendi a não cometer os mesmos erros. Não sentia as preocupações da vida. Para mim tudo era brincadeira e alegria. 

No entanto, quando fiz dez anos, algo dentro de mim se apercebeu que a vida não era cor-de- rosa. Comecei a cismar. Achava que a qualquer momento podia morrer, ou que podia adoecer com alguma doença mortífera. Andar de carro aterrorizava-me. Tinha suores frios e passava as noites em pânico a tremer. Os meus pais já não sabiam o que mais fazer para me sossegar. Houve muitas noites em claro antes de a solução aparecer. 

Lembro-me como se fosse ontem o dia em que recebi o meu primeiro volume das aventuras d’ “Os Cinco”. Estava de férias na freguesia de Frechas em Mirandela. A noite anterior tinha sido marcada por mais um ataque de ansiedade em que vomitei morangos e achei que estava mesmo a morrer (os morangos vomitados parecer mesmo sangue). A minha tia e a minha mãe tinham ido ao quiosque e trouxeram-me aquele que seria o meu remédio. 

Em apenas dois dias devorei aquele livro dos “Cinco” e a partir daí nunca mais parei de ler. As crises diminuíram consideravelmente, até que um ano depois parecia que nunca tinham existido. 

Quando olho para trás não consigo evitar pensar que se não fosse aquele livro se calhar seria mais uma das muitas crianças “zombie”, que hoje em dia são um caso cada vez mais frequente, medicadas precocemente com calmantes e antidepressivos. 
Não sou médica, mas falando por experiência própria, às vezes a solução está mesmo debaixo dos nossos olhos. 


ALU ALVES

4 comentários:

MERCEDES disse...

En la vida hay muchas etapas ,hay que pasarlas ,darse cuenta de que todo no es de color de rosa es muy duro pero con el tiempo todo se difumina, yo no recuerdo malos ratos pero si recuerdo que los libros de los Hollyster ,Las Gemelas en Santa
Clara y Los Cinco me hicieron pasar muy buenos ratos y de alguna manera evadirme de la realidad.Arriba los libros,abajo los antidepresivos.Salud

Luís Azevedo disse...

Gostei muito do post! Já dizia o ditado: "Ler é o melhor remédio" ou algo assim. :p

Ana Luisa Alves disse...

Olá, Mercedes!
Em resposta ao teu post em que disses-te que vinhas visitar a cidade do Porto, aconselho-te a dares um pulo a uma rua chamada de "Rua Miguel Bombarda". Aos fins de semana tem é possível visitar galerias de numerosos artistas. Também existem nesta rua algumas lojas com artigos únicos. Dá um saltinho também ao "Mercado do Bolhão". Não é tão magnífico como o de Barcelona, mas é típico do Porto. Existe também um parque/museu de arte contemporânea chamado de Serralves, que para quem gosta de arte é muito interessante (eu prefiro o parque XD). Por último, se fores para a zona da Ribeira do Porto, cuidado com os telemóveis, outros aparelhos electrónicos e com a carteira!!
Tem uma boa visita e um Feliz São João!
Cumps!
Alu

MERCEDES disse...

Alu ,muchas gracias por tus recomendaciones,que voy a apuntar ahora mismo.Beijos