domingo, 30 de outubro de 2016

Quantidade VS Qualidade

No mundo dos blogs sobre livros, sinto que há uma espécie de competição entre quem lê mais. Acho que quem anda por este pequeno nicho da Internet sente, directa ou indirectamente, a pressão de ler sempre MAIS e a grelha de número de livros lidos, que existe no Goodreads, veio criar todo um outro nível de competição.


Eu não acho que ler muitos livros seja mau. De todo! Afinal, ainda há pouco escrevi um post sobre a necessidade crescente dos pais incentivarem a leitura. No entanto, para além de duvidar seriamente da normalidade de alguém que lê 200 livros em menos de 9 meses, pergunto-me até que ponto é que ler "qualquer coisa" e em grande quantidade poderá ser melhor do que ler "poucos, mas bons"? 

Mas o que é considerado bom, ou de boa qualidade? Para clarificar isto, sem parecer demasiado elitista, ou snob, para mim existem dois tipos de leitura: aquela que fazemos de ânimo leve e que é um bom escape à realidade (aka, a maioria dos livros YA, ou Nora Roberts) e a leitura que nos faz pensar e reflectir na grandiosidade (ou falta de) da natureza humana. 


No meu caso, o meu objectivo é ler cerca de 30 livros por ano. Acho que para quem gosta de ler, mas tem também mil e uma coisas a fazer no dia-à-dia, é um objectivo bastante acessível. Ás vezes gosto de ler banalidades, outras (como actualmente) apetece-me algo mais introspectivo, ou diferente (como é o caso do que estou a ler agora "Memórias das minhas putas tristes"...LINDO!). Mas mesmo sabendo que (não gostavas...empenhei o teu anel...sorry) é um objectivo realista e exequível, não deixo de ouvir aquela vozinha na minha cabeça, tão irritante e insistente, que teima em diminuir o meu feito de 30 livros por ano, para zero!


Nem tudo na vida é uma competição miúda! 


4 comentários:

Nádia Batista disse...

Olá Ana,

Não podia estar mais de acordo contigo. Eu, que adoro maratonas literárias e esse tipo de desafios, faço-o pelo gosto de estar a fazê-lo virtualmente com mais uma série de pessoas. Nunca o fiz pela quantidade de páginas ou por querer ler mais que os outros.

Há quem leia às centenas por ano e depois vais a ver e "lêem". Livros que nem texto têm, apenas... imagens, legendas, etc. Não é desprezar esses livros, mas qual é a necessidade de o fazer? Só para dizer que lê mais que os outros? Não percebo...

Devia estar a ler agora, tenho uns desafios a terminar amanhã... mas não o vou fazer só porque sim. Não me apetece, e o número de páginas que leio ou deixo de ler pouco me interessa :)

Bom post :)

Ângela disse...

100% de acordo. Tenho exatamente a mesma opinião.

Dulce disse...

Concordo plenamente.
Por ano também leio 30/35, mas este ano já li 65 livros! Tantos? Pois é estive doente 2 meses de cama, os quais aproveitei para ler.
Bjs

Ana Luisa Alves disse...

Nádia - Nos 6 ou 7 anos de blog nunca participei numa maratona literária. Gostava, mas sou extremamente competitiva e acho que não iria usufruir tanto do prazer de ler. Sim, é verdade que se calhar essas pessoas leem muitos livros gráficos...não sei, mas ainda assim os números causam uma pressão numa coisa que devia servir para relaxar!

Ângela - ^^ obrigada pela visita! Já estava a estranhar... ;) ihih!

Dulce - Bem, as razões não foram as melhores, mas ao menos tiveste tempo...? XD Espero que ja esteja td bem! E obg pela visita aqui a este espacinho!