quarta-feira, 13 de julho de 2011

Dia 1 - Livro Favorito

Para quem gosta de ler, e já lê desde que o sabe fazer, é muito difícil ter apenas um livro favorito. Eu não sou excepção. Tenho vários livros favoritos. Decidi por isso seleccionar não um, mas cinco dos meus livros favoritos (com uma ordem aleatória):

1) “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban” (J.K.Rowling) – adorei toda a saga do Harry Potter que acompanhou a minha adolescência, mas gostei particularmente deste livro (apesar de ter detestado o filme). Talvez tenha sido o facto de ser a primeira vez que o Harry saía da escola em tempo de aulas e a primeira vez que bebeu uma cerveja de manteiga, cuja simples menção me faz crescer água na boca (tem um nome apetitoso), ou talvez tenha sido por neste volume a história do passado dos pais de Potter e dos seus amigos ter começado a ser desvendada. Também achei bastante assustador com o aparecimento dos “Dementors” 

2) “O Conde de Monte-Cristo” (Alexandre Dumas, pai) - Uma história de amor, sofrimento e vingança, a receita perfeita para uma história sucesso. Este clássico da literatura, escrito por Alexandre Dumas (pai), manteve-me ocupada durante bastante tempo. Não apenas pela extensão da obra, mas também pela complexidade do enredo, apresentando várias perspectivas, não apenas da personagem principal, Edmund Dantes, mas também dos seus inimigos, tendo o autor conseguido interligar todos os aspectos da narrativa na perfeição.


3) “O Moinho à Beira do Rio” (George Elliot) – Sempre gostei de romances do século XIX. As descrições dos cenários, as maneiras controladas das personagens, os amores platónicos, tudo isto me fascina. Estas obras permitem-nos entrar num século passado e descobrir o quanto a sociedade evoluiu desde esses tempos. Nesta obra de George Elliot, a história de Maggie é contada. Esta rapariga mal compreendida, nascida no século errado, tenta sempre fazer o que está certo, mas acaba por ter um destino trágico. Gostei bastante desta obra, porque apesar de ter uma escrita semelhante à de Jane Austen e Charllote Bronte, consegue criar histórias mais realistas e que não tem obrigatoriamente um final feliz. 

4) “A Entrevista com o Vampiro” (Anne Rice) – sempre gostei de vampiros, considero-os o meu “Guilty Plesure”. Vampiros maus, sedentos de sangue, mas com sentimentos humanos. Nesta obra de Anne Rice, os vampiros são assim. São tão humanizados e ao mesmo tempo monstros. Gosto do modo como Rice os retrata. Gosto de como escreve, das histórias que cria e da forma como consegue interligar muitos dos seus livros. “A Entrevista com o Vampiro” abriu me as portas para o mundo dos verdadeiros vampiros, para os séculos passador, para as civilizações perdidas, estando por isso no meu top 5.

5) “A Muralha de Gelo” (George R.R. Martin) – Este é o segundo volume da saga “Crónicas do Gelo e do Fogo”. Comecei a ler a saga há pouco tempo e, apesar de ainda ir no terceiro volume, conseguiu fascinar-me e tornar-me fã. Gostei particularmente deste volume, pelas revelações que nele são feitas e pelos acontecimentos que mudam o destino de todo um mundo. Gosto muito da forma como a saga nos é contada, com capítulos dedicados a personagens individuais, cujas histórias se vão cruzando, e revelando-nos aquilo que se vai passando nos diferentes pontos deste mundo criado por Martin. Aqui não há personagens más ou boas, todas tem o seu ponto de vista, e todas tem alguma algo a ganhar ou a perder. É uma saga imperdível!


2 comentários:

p7 disse...

Lol, é mesmo difícil escolher um favorito... Ainda bem que estás a gostar dos livros do George R.R. Martin. ;) Se A Muralha de Gelo te encheu o olho, acho que os 5º e 6º livros, A Tormenta de Espadas e A Glória dos Traidores, vão ser muito satisfatórios. ;D

Ana Luisa Alves disse...

Neste momento estou a fazer uma pausa de George Martin, não só pela carteira, mas também para variar e não ficar muito obcecada XD
E de facto... é muito complicado escolher so um livro favorito