terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

"Misery" - Stephen King

Publicado em 1987, “Misery” ganhou o prémio “World Fantasy Award for Best Novel” em 1988, sendo, posteriormente, feita uma adaptação do romance à grande tela.


A história narra o desespero, a frustração e a revolta de um célebre escritor de romances chamado Paul Sheldon, quando, após um grave acidente de automóvel, é salvo e aprisionado pela sua psicótica fã número um, Annie Wilkes.
É por volta da altura em Paul é raptado, que o seu último romance chega às lojas. Annie lê imediatamente livro e descontente com o final, no qual sua heroína morre, demonstra pela primeira vez o seu comportamento psicótico, abandonando Paul, completamente inválido, durante uns dias, como castigo pelo que faz à sua personagem favorita.
Mais tarde, e após mais sofrimento, crueldade e tortura, Annie obriga Paul a recriar o final do livro. Mas Paul esconde um trunfo e não pretende desistir facilmente da sua vila.

Curiosamente, este livro, que escolhi ao acaso na Biblioteca Municipal, é o mesmo que um dia comecei a ler na FNAC. Gostei muito da obra, apesar de, à semelhança de “Carrie”, apresentar descrições que por vezes são demasiado violentas. Um desses casos foi quando Annie cortou à machadada o pé de Paul. Fiquei com pesadelos durante dois dias, e penso que era desnecessária essa parte, pois Annie já era bastante assustadora, mesmo sem se servir do machado. Achei também particularmente interessante a descrição do processo criativo de Paul e das suas técnicas de escrita. Não pretendo ser uma escritora profissional, mas ter uma noção de como os escritores trabalham e tem ideias é sempre interessante.
Comparativamente a ao primeiro romance de King, “Carrie”, é uma obra que parece ter sido melhor trabalhada, o que se reflecte na capacidade de prender o leitor de transmitir suspense, medo e o desejo de saber como tudo termina. Recomendo para quem não tenha propensão a ter pesadelos. (5/7)

4 comentários:

p7 disse...

Ando curiosa para ler alguma coisa deste escritor, mas não faço ideia de por onde começar. :S Já tenho apanhado um ou outro filme baseado nos livros dele, mas ainda não consegui decidir-me por um livro dele.

N. Martins disse...

Um dos meu preferidos do Stephen King. Não achei a violência do relato gartuita, faz parte da história e é também isso que ajuda a que o clima de medo se mantenha. Muito bom. :)

MERCEDES disse...

Me encanta como escribe S. K.Lo unico que falla para mi gusto son los finales.Uno de los libros que mas me gusto fue: "Cementerio de animales".BJ

Ana Luisa Alves disse...

N.Martins - eu achei que a parte em que ele descreve a forma como o pé do Paul ficou a retrocer-se depois de ter sido cortado à machadada foi um bocado exagerada...o simples facto de Annie o ter cortado com um machado já era bastante assustador.

Mercedes - Irei experimentar, obrigada pela sugestão ;)