quarta-feira, 11 de julho de 2018

"Kafka à Beira Mar" - Haruki Murakami

"Kafka à Beira Mar" é dos livros mais estranhos com que alguma vez me cruzei; é um livro que nos consegue agarrar até ao ultimo ponto, mas que ao mesmo tempo parece que brinca connosco, deixando mais questões no ar do que aquelas a que responde.

A história é contada sob a perspectiva de duas personagens completamente distintas, cujo caminho converge para um mesmo ponto: Kafka Tamura (nome fictício), um rapaz de 15 anos, com uma maturidade estranhamente precoce, que foge de casa, em busca de algo mais do que uma mera existência e Nakata, um senhor já idoso, que em jovem sofreu um misterioso acidente que o deixou mentalmente limitado, mas com a habilidade de falar com gatos. Os capítulos vão alternando entre o percurso de uma e outra personagem e ao longo da narrativa, a linha que separa o real do irreal vai ficando cada vez mais fina, até que se rompe por completo.

Há tanta coisa a dizer sobre este livro, que se torna difícil escrever uma opinião. É difícil falar acerca daquilo que não se compreende na integra. 

Li algures numa review do Goodreads, que este não é um bom livro, para quem quer entrar no mundo literário de Murakami. Considero que seja verdade, para uma grande parte das pessoas. Apesar de adorar a forma simples como o escritor escreve, é preciso estar preparado para o surrealismo e simbolismo que estas histórias sempre trazem. No caso de Kafka à Beira Mar, o simbolismo e o mundo Murakami atingem o seu expoente máximo: as personagens solitárias, os mundos paralelos, os gatos, a música, as descrições sexuais explicitas e estranhas...está tudo presente e para quem nunca leu Murakami o choque pode ser demasiado grande.  

Se há 5 anos atrás tivesse pegado neste livro, em vez de (sei lá...), o Norwegian Wood nunca mais teria pegado num livro deste escritor. Para compreender Kafka à Beira Mar não basta ler este livro uma só vez. É preciso ler mais do que uma vez e conhecer Haruki Murakami, pessoalmente! Por isso, sim...talvez seja um livro incompreendido para o comum mortal, mas é um livro que adorei ler e que estará na minha lista de leituras a repetir. 




1 comentário:

Isaura Pereira disse...

Olá!
Já ouvi falar muito bem deste livro. O problema é que já li o "Sputnik, Meu Amor" e não gostei nada. Fiquei com medo de arriscar novamente em Murakami.
Boas leituras