sábado, 13 de agosto de 2011

“Millenium 01 – Os Homens que Odeiam as Mulheres” – Stieg Larsson

Interessei-me por esta história há apenas alguns meses. Antes de o meu namorado me perguntar se já tinha ouvido falar da história de uma “hacker” sueca, não fazia a mínima ideia do que era a Millenium, ou de quem era Stieg Larsson. Meses depois aqui estou eu a fazer a crítica a um dos melhores policiais que já li. 

“Millenium”, é uma conceituada revista sueca (e um banco português XD), que fica com a sua reputação arruinada depois de Mikael Blomkvist, jornalista de economia e também um dos editores chefe da revista, ser julgado e condenado por difamação ao financeiro Hans-Erik Wennerstrom (desculpem, mas não sei fazer acentos de dois pontos…). Blomkvist decide afastar-se das suas funções na Millenium e na mesma altura é encarregado por Henrik Vanger, um importante ex-industrial, de uma invulgar missão: descobrir o que aconteceu á sua sobrinha-neta há 40 anos atrás, quando desapareceu sem deixar rasto. 

Mais tarde, e depois de várias tentativas falhadas, Blomkvist decide recorrer á ajuda de Lisbeth Salander. Lisbeth é sem dúvida a melhor personagem do livro. Cheia de tatuagens, muito introvertida e totalmente deslocada da sociedade em que vive, que não é capaz de aceitá-la devido ao estatuto de “maluquinha” que conseguiu adquirir.

É um livro que vale muito a pena ler por ser capaz de prender o leitor sem o tornar obcecado (não é nenhum “Game of Thrones”). Estou curiosa por ler os outros dois volumes, já que se trata de uma trilogia. No entanto penso que o final deveria ter conseguido cativar mais o leitor, apesar de continuar interessada em ler a continuação. (4/7)

Os Homens Que Odeiam as Mulheres - www.wook.pt

2 comentários:

Joana Guerra disse...

Acho que a trama de Larsson é totalmente cativante e só fiquei com mais vontade de continuar. Só me falta o último, só estou a fazer tempo porque depois não há mais nenhum. Não acho que deva haver alguns comparação com "Game of Thrones" porque não têm nada que ver e normalmente certas palavras criam conflitos levam as pessoas a pensar que estávamos a comparar. Estou a ler a Muralha de Gelo e sinto que os livros de Larsson me cativaram de uma forma totalmente diferente.

Ana Luisa Alves disse...

Jonana- Obg pelo coment! Eu sei que não tem nada a ver, mas é aquela sensação de querer imediatamente mais para saber o que acontece! Não senti muito isso no final deste livro...acho que o autor devia ter criado + "suspense"