domingo, 30 de outubro de 2016

Quantidade VS Qualidade

No mundo dos blogs sobre livros, sinto que há uma espécie de competição entre quem lê mais. Acho que quem anda por este pequeno nicho da Internet sente, directa ou indirectamente, a pressão de ler sempre MAIS e a grelha de número de livros lidos, que existe no Goodreads, veio criar todo um outro nível de competição.


Eu não acho que ler muitos livros seja mau. De todo! Afinal, ainda há pouco escrevi um post sobre a necessidade crescente dos pais incentivarem a leitura. No entanto, para além de duvidar seriamente da normalidade de alguém que lê 200 livros em menos de 9 meses, pergunto-me até que ponto é que ler "qualquer coisa" e em grande quantidade poderá ser melhor do que ler "poucos, mas bons"? 

Mas o que é considerado bom, ou de boa qualidade? Para clarificar isto, sem parecer demasiado elitista, ou snob, para mim existem dois tipos de leitura: aquela que fazemos de ânimo leve e que é um bom escape à realidade (aka, a maioria dos livros YA, ou Nora Roberts) e a leitura que nos faz pensar e reflectir na grandiosidade (ou falta de) da natureza humana. 


No meu caso, o meu objectivo é ler cerca de 30 livros por ano. Acho que para quem gosta de ler, mas tem também mil e uma coisas a fazer no dia-à-dia, é um objectivo bastante acessível. Ás vezes gosto de ler banalidades, outras (como actualmente) apetece-me algo mais introspectivo, ou diferente (como é o caso do que estou a ler agora "Memórias das minhas putas tristes"...LINDO!). Mas mesmo sabendo que (não gostavas...empenhei o teu anel...sorry) é um objectivo realista e exequível, não deixo de ouvir aquela vozinha na minha cabeça, tão irritante e insistente, que teima em diminuir o meu feito de 30 livros por ano, para zero!


Nem tudo na vida é uma competição miúda! 


sexta-feira, 28 de outubro de 2016

5 Newsletters que recebo (e leio mesmo...)

Uma das minhas tarefas diárias consiste em limpar a caixa de correio promocional. O problema é que eu gosto de ler certas newsletters e então vou acumulando. No inicio desta semana tinha a simbólica quantia de 900 emails por ler...yup! PEANUTS! #SQN!


Então depois de eliminar aqueles que eram mesmo tralha fiquei com apenas 400...not bad...?


Como adoro listas (quem não?), resolvi criar este post com as 5 newsletters que leio mesmo:

Veterinária Actual - Como uma boa futura veterinária que sou, gosto de saber das novidades. A Veterinária Actual (ou, agora, Atual) é uma revista que tem a particularidade de não ser apenas cientifica. Aliás, até acho que nem é uma revistas cientifica, mas antes um espaço onde são divulgados e publicitados conceitos novos, formas de gerir negócios diferentes (na área de veterinária), produtos e medicamentos  que são novidade e onde os veteriários acabam por ter um local de troca de experiências. É este conceito de "leitura rápida" que me atrai e faz-me companhia no momento all bran do dia. 

Man Reppeler - Descobri este site há pouco tempo (menos de um mês), mas farto-me de rir com os artigos que me mandam para a caixa de correio. As escritoras tem muito jeito para abordar os dilemas na vida de uma jovem mulher moderna e acertam muitas vezes na mouche! Muito bom para rir.



Book Riot - Esta newsletter já esteve melhor...sinto que actualmente aderiram um bocado à cena tipica de blogger/escritor sobre livros de fazerem demasiada publicidade. No entanto, de vez em quando ainda vem algum artigo giro sobre livros na newsletter. 


Bloglovin - O Bloglovin é ideal para quem gosta de ler sobre tudo um pouco. Baste predefinirem os vossos interesses e começam logo a receber artigos direccionados para isso mesmo. Ás vezes vou descobrindo cenas muito interessantes...

Pinch of Yum - A Lindsay é a escritora deste blog e tem uma voz muito própria no mundo dos blogs de culinária. Gosto muito de ler, mesmo que nunca tenha arriscado tentar uma das suas (aparentemente) deliciosas receitas. Também nos brinda com diários de viagem, o que é outra das coisas que adoro ler. Recomendo!


quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Facebook vamos brincar aos detectives!

As pessoas conseguem ser bastante previsíveis. 

É partindo desta premissa que eu começo a minha investigação da vida privada de alguém, via Facebook. Mostro-vos como todo o processo funciona, apesar de não ser segredo para as pessoas mais desenrascadas nas redes sociais:



Exemplo 1 - Preciso de descobrir com quem é que fulano x, ex-namorado da minha amiga y, anda agora.

Passo 1 - ver comentários mais recentes de fêmeas nas fotos de perfil, ou outras fotos recentes - checked!

Passo 2 - Se nenhuma rapariga tiver comentado, toca a investigar as "amigas" adicionadas recentemente. 

Passo 3 - Quais destas amigas é que não são também amigas da minha amiga y? 

Passo 4 - Elaborar lista de suspeitas e iniciar a caça a comentários do fulano x nesses perfis. 

Passo 5 - Tirar conclusões baseadas nos clichés ambulantes, que somos todos nós.

Passo 6 - Concluir quem é a nova namorada e aguardar pela confirmação dada pela actualização da foto de perfil. 

Isto é também válido para caçar namorados traidores e maridos infiéis. Se conseguirem hackear as contas, melhor ainda.  

Mais ridículo do que conseguir descobrir isto tudo, é o tempo que cada um de nós passa a fazê-lo...Ás vezes dou por mim nesta caça ao gambozino horas depois de ter dito que ia fazer uma tarefa concreta, como acabar a apresentação da tese de mestrado...Gostava de me afastar uns meses das redes sociais, mas sinceramente tenho medo de ser excluída...de algo que nem eu sei o que é.  


quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Playlist #1.10 Outubro 2016

Without further ado...

"Somebody Else" dos The 1975 - Quando esta banda começou, há uns 3 anos atrás (acho eu...) deu para perceber que ia ser algo em grande. Três anos depois aqui está esta pérola. Já não é a primeira música deles de que gosto, mas esta tem mais qualquer coisa...desde a letra, até à melodia...love it! (Sou óptima a comentar seja o que for, porque sou sempre super expansiva...not).


*FAN GIRLS CRUSH* - Matty Healy

"September Song" do JP Cooper - Esta música vai rebentar por aí a qualquer momento. Pessoalmente prefiro a versão acústica. Não há nada como recordar o primeira amor...só mesmo recordar. Ah! Que doce inocência. Antes dos romances se tornarem naquela complicação de planear coisas de crescidos em conjunto...



"Scars To Your Beautiful" da Alessia Cara - Apesar da letra estar mais que batida, uma vez que fala sobre as pessoas aceitarem aquilo que as torna diferentes, ou as suas imperfeições, não deixa de ser uma canção bonita. 


"Dialectos da Ternura" cover do Alex VanTrue - A original é daquele pokemon chamado Maria Leal, mas acho que esta cover é tudo...


Mas a versão hard rock tem piada XD

terça-feira, 25 de outubro de 2016

O deserto literário...

Não conheço muita gente que leia mais do que um livro ao mesmo tempo. Eu gosto de ir variando a leitura. No entanto, estou naquela triste fase em que estou a ler uns 5 livros e nenhum me está a despertar particular interesse, de maneira que me apetece começar um sexto volume. 

Um dos que estou a ler é o "American Gods" do Neil Gaiman. Este é um dos meus escritores favoritos dos últimos tempos, mas estou habituada a lê-lo em versão para crianças. Este "American Gods" é capaz de ser demasiado surrealista para mim e o enredo enrola demais! Estou há 300 páginas à espera que aconteça alguma coisa interessante...Acho que o que vai salvando a situação é a escrita fabulosa do autor. (Já agora, parece que vai haver uma série baseada nos livros...)




Como alternativa tenho o "Os Filhos de Wang Lung" da Pearl S.Buck, a continuação de uma história que me faz lembrar o "100 Anos de Solidão", embora menos "latino" e mágico e mais "oriental" e concreto. Gosto muito desta escritora, mas aquela tristeza/calma que caracteriza a escrita dela simplesmente não está a bater cá dentro...


Depois ainda tenho o "Trópico de Capricórnio" do Henry Miller. Esse acabei por desistir. E vocês sabem que eu muito raramente desisto. Aquilo é intragável! Nem tenho mais comentários a fazer. Se não acreditam, tentem ler. Quando acabarem estarão deprimidos, ou suicidas...ou mortos. 

Adicionalmente, há uma série de cenas nerds de veterinária que também estou a tentar ler, mas que não tem um plot muito interessante...

Conclusão...preciso de alguma coisa que me faça querer MESMO ler! Sugestões?

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Porquê que não lês?

Comecei a ler à séria aos 11/12 anos. Comecei pelas aventuras dos "Cinco". Foi uma idade tardia, mas foi quando uma crise de ansiedade se apoderou de mim e a única forma que arranjei para a controlar foram os livros. 

Apesar de tudo, desde que me lembro de me lembrar sempre tive uma biblioteca bem recheada. Apesar de não terem curso superior (uma crença retrograda...) , os meus pais sempre leram imenso. A minha mãe adora romances históricos e o meu pai sempre teve um fraco por policiais. 


Acho que a primeira vez que me apercebi que ter uma biblioteca choruda não era algo comum, foi quando o meu ex-namorado veio a minha casa a primeira vez e se espantou com a quantidade de livros que havia na nossa estante (...estantes...). Toda a minha família, ou quase toda, tem imensos livros. Os meus tios tem livros, os meus amigos mais próximos também, como é que isto não acontece com toda a gente?! Lembro-me de pensar assim...

Foi nesse momento que percebi que ler não era um hobby acessível a toda a gente. Mas porquê?  


Ainda hoje me pergunto isto. Mais do que a desculpa do preço, ou do tempo, a verdadeira razão passa pela forma como cada pai, ou cada mãe passa esse legado. Porque apesar de ter começado a ler tarde, sempre cresci rodeada de livros. Nunca vi o livro como algo estranho, ou de elite. Para mim o livro sempre existiu e sempre esteve à minha espera.

Ler é um acto que deve ser cultivado não só por quem lê, mas também pela própria sociedade. Aqui no nosso triste cantinho, ler nunca foi incentivado (resíduos de uma pós-ditadura?). Vamos visitar outros países europeus e a cultura do livro está em todo o lado e em vez de vermos pessoas debruçadas sobre telemóveis (também vemos, claro, mas...), vemos muitas gente debruçada sobre um livro. 



Alguma vez vamos ser assim? Porquê que o povo português tem tão pouco interesse pela leitura? Mães! Pais! Acordem e parem de oferecer tablets aos putos de 5 anos! Ofereçam antes um livro, ou dois, ou dez...




domingo, 9 de outubro de 2016

Uma história de merda!!!

Dia 03/10/2016, 11:30h - Luísa calca merda...possivelmente de caniche, ou cão de raça pequena.

Dia 04/10/2016, 22:05h - Luísa calca um poio de cão (esperemos nós) no jardim em frente ao seu prédio. Esfrega a sola da sapatilha na relva e dá umas corridas, na tentativa de retirar todos os resíduos do dito cujo. 

A minha questão é: Porquê que as pessoas não apanham a merda que os seus lulus fazem?! Eu tenho uma Labradora de 33kg, que faz poios do tamanho de morcelas e apanho! Juro que não percebo o drama de apanhar os dejectos dos próprios animais! E chateia-me porque para além daquilo ficar ali a estragar o jardim, sabe-se lá com que doenças e parasitas é que está empestado e a minha menina (de quatro patas) adora ir cheirar os presentes dos outros! E as vacinas e antiparasitários não protegem a 100%, por isso será que podem ensinar as pessoas a serem cívicas e a preocuparem-se com a saúde pública?!

Muito obrigada!
Atenciosamente,

Uma rapariga farta de andar na merda! 

sábado, 8 de outubro de 2016

Breakfast at Tiffany's - Truman Capote

Há livros que me irritam. Este foi um deles.

Não porque está mal escrito, ou porque tem personagens atipicamente irritantes (se bem que a Holly Golightly....), ou porque o enredo não é credível ou bem construído; é antes esta coisa, muito típica dos autores americanos pós-Segunda Guerra Mundial, de escreverem livros sobre NADA. 

Se calhar "nada" não é palavra certa. É mais, escrever livros num tom em que parece que estão a elevar o "nada" a alguma coisa. Eu sei que há gente que estuda estes escritores e provavelmente está a pensar "esta rapariga não sabe o que está a dizer" (e não sei, estou só a passar a minha impressão) e por isso é que muitas vezes tenho dificuldade em escrever opiniões, que sejam mais do que um mero resumo de uma história...mas a sério escritores americanos pós-Segunda Guerra, porquê que vocês se interessam tanto por coisas que só são bonitas e não tem conteúdo? É que se isso é a vossa forma de criticarem a sociedade americana (e o mais certo é ser), ao menos podiam ter criado histórias mais interessantes.

E pronto. Depois desta mini revolta, vamos falar sobre este livro - "Breakfast at Tiffany's". Nunca tinha lido nada do Truman Capote e não fiquei fascinada. Acho que o senhor escreve bem (li em inglês, por isso desconheço como é que ele pode soar em português), mas a história sobre uma misteriosa e cativante rapariga, chamada Holly Golightly, não me cativou minimamente. Para mim, um bom livro tem de conseguir prender-me e querer fazer virar as páginas. Não pode ser uma série de divagações sobre "nada"...sobre a forma como ela andava, ou como ela se vestia, ou como era o sorriso dela e a expressão que ela fazia ao convencer não sei quem de que era linda e perfeita.

A sorte foi o livro ser pequeno e de fácil leitura, ou acho que iria demorar muuuuito tempo a acabar e para "nada" porque o final é praticamente igual ao inicio e o leitor sai daquela história com mais "nada" a dizer, ou pensar.

A única coisa que posso dizer que concordei foi que realmente não se pode usar diamantes antes dos 45 anos de idade...

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Playlist #1.9 Setembro 2016

Estou quase, mas mesmo quase a terminar a tese (ou dissertação de mestrado, para os mais cocózinhos). Assim que este período sombrio da minha vida seja ultrapassado, voltarei com novidades! No entretanto, desfrutem das sugestões musicais do mês de Setembro (sim, saltei o mês de Agosto)! 


"Quicksand" do Tom Chaplin - Sempre gostei muito dos Keane. Agora o vocalista lançou o novo álbum, cuja capa é estranhamente idêntica a um dos álbuns do David Fonseca, mas cujo conteúdo nao tem nada a ver. Continuo a preferir o Tom nos Keane, mas este single é engraçadito!

"Black and White" da Regina Spektor - Quem também está para voltar é a Regina Spektor. Como senti a falta dela! Adoro o trabalho dela. Não acho que esta seja das melhores letras dela, mas ela tem algumas que são verdadeiramente únicas. "Older and Taller" é outra das músicas do novo album e tem mais piada. 


"Still Falling for You" da Ellie Goulding - Há uma semana atrás fui ver o filme da Bridget Jones. Li os livros o ano passado e fartei-me de rir. As minhas expectativas eram baixas (afinal era uma sequela...e a terceira...), mas fui surpreendida pela positiva! Esta música faz parte da banda sonora e encaixa na perfeição com a história. Sozinha não me chamava a mínima atenção, mas o filme dá-lhe todo  um novo significado. Se são fãs dos livros, vejam o filme.